Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro

Éliane Radigue ‘Kyema’ (Difusão). Por Caroline Profanter

Museu Industrial da Baía do Tejo
21h30

Numa união de esforços entre a OUT.RA e o projecto REMAIIN, sentimo-nos profundamente honrados em poder apresentar nesta edição duas peças da gigante Éliane Radigue, entregues, na sua impossibilidade de comparecer de corpo presente, a intérpretes da confiança absoluta da Senhora. Nome histórico e incontornável da composição electrónica com um corpo de trabalho impressionante e verdadeiramente pioneiro que remonta à década de 50 e continua ainda hoje, focado desde a viragem para este século na composição para instrumentos acústicos. Nesta primeira sessão é iluminado o território vivo de Radigue em torno da electrónica, aquele que explorou afincadamente durante cinco décadas e que mais imediatamente associamos à compositora francesa. Capítulo introdutório daquela que é talvez a mais imponente peça da sua obra – a par de 'Adnos'? -, o tríptico 'Trilogie De La Mort' composto entre 1988 e 1993, 'Kyema' inspira-se no 'Bardo-Thodol' ou 'O Livro Tibetano da Vida e da Morte' para daí se afirmar como uma meditação sónica paciente e única sobre o ciclo contínuo da morte e da vida. No Barreiro, 'Kyema' fica entregue à sensibilidade de Caroline Profaner, artista sonora sediada em Bruxelas com larga experiência e saber nos campos da electro-acústica e da acusmática, tendo já interpretado e espacializado peças de luminárias como Daphne Oram ou Octavian Nemescu.

Concerto no âmbito do projecto

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram